Hoje em dia é muito comum que as mães sintam dificuldades ao amamentar seus bebês logo após o parto. Por isso o objetivo desse texto é tranquilizar a família e informar sobre as possíveis causas e tratamentos para essa dificuldade.

Esse tema é importante ser discutido, pois muitas vezes as dificuldades causam um desmame precoce dos bebês, fazendo com que a família tenha que investir em fórmulas infantis e consequentemente aumentar os gastos. As causas para a dificuldade ao amamentar são variadas. No bebê, pode ser uma linguinha presa ou excesso de sonolência (comum por exemplo em bebês prematuros) e na mãe pode ser dificuldade em acertar o posicionamento ou a pega, fissuras, mastites, ingurgitamentos, ajuste de produção láctea, entre outras. A consultoria de amamentação é uma excelente alternativa para tentar identificar o problema e reverter a situação. Nesse processo, faz-se uma análise da dupla (mãe e filho) de forma bem personalizada a fim de obter uma análise completa.

A partir daí consegue-se o diagnóstico das dificuldades de ambos, e desenvolve-se um plano para que a dupla possa ter um encaixe melhor e por fim realizar a amamentação com sucesso. São fornecidas orientações quanto a pega correta do bebê, posições favoráveis para amamentar, cuidados com a mama, modos de aumentar a produção de leite, verificação da quantidade de leite, ordenha, estimulação da mama e relactação (volta a amamentar depois de ter parado parcialmente ou definitivamente), bem como qualquer outra duvida que possa surgir, dando apoio continuo a dupla mãe-bebê e a família neste período.

Aliada ao processo de consultoria, também pode-se fazer a laserterapia, que tem sido utilizada com sucesso no tratamento de fissuras mamárias e obstrução de ductos lactíferos, promovendo a aceleração da cicatrização e analgesia do local.

Portanto não se desespere caso esteja diante dessas dificuldades. Existem alternativas para tentar reverter o problema antes de partir para o abandono da amamentação.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco que teremos o prazer em responder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *